TwitterFacebook
Página inicial |
blog PRIME
Prime
A PRIME CLIPPING AGENDA DE SHOWS GALERIA DE FOTOS GALERIA DE VÍDEOS DEIXE SEU RECADO CONTATO

Os 25 fenômenos teen mais explosivos do cenário musical

18/06/2012

Choro, histerismo, desespero, gritaria, ânsia, nervosismo, tatuar alguma loucura, passar noites em claro, achar inspiração em canções e frases de ídolos. Quem nunca passou por pelo menos 2 sintomas desses? Se você passou, parabéns, você é mesmo um fã!

Artistas e bandas voltadas ao público teen são um tipo especial de estrelas do pop. Eles tem o dom de inspirar e provocar mais adoração que qualquer outro artista. Os estilos musicais e o jeito que tais atros se vestem ou se comportam mudam, mas a paixão de fãs jovens já faz parte da história da música mundial. Você sabe dizer quem são os 25 ídolos teens que mais provocaram gritos, desmaios e fanatismo nos fãs? Confira:

1- Frank Sinatra - 1942


Em dezembro de 1942, Frank Sinatra agendou uma série de shows no Paramount Theater, em Nova York. O cantor de 27 anos tinha acabado de se separar de Tommy Dorsey e não tinha certeza se conseguiria seguir carreira sozinho. Para surpresa dele, um pequeno exército de garotas adolescentes tomou o local na primeira noite e foi à loucura quando ele surgiu no palco. "O som era completamente ensurdecedor", Sinatra lembrou, anos depois. "Eu estava assustado. Não conseguia mover um músculo." Esse fanatismo em volta de Sinatra ocorreu mais de 20 anos antes da Beatlemania, e foi a primeira demonstração nos Estados Unidos de como a cultura teen iria evoluir na segunda metade do século 20.

2- Johnnie Ray - 1952


A história não foi gentil com Johnnie Ray. No começo dos anos 50 o cantor pop se tornou um dos primeiros ídolos adolescentes com hits como "Cry" e "The Little White Cloud That Cried" - mesmo que ele fosse parcialmente surdo. As garotas amavam as demostrações de emoção dele (Ray costumava chorar no palco), mas ele teve o azar de atingir o sucesso pouco antes da revolução do rock and roll. As músicas dele pareceram datadas depois do surgimento de "Rock Around The Clock", "Hound Dog" ou "Maybelline". Como se não fosse o bastante, uma cirurgia no ouvido tirou ainda mais da audição dele. Daí, em 1959, ele foi acusado de pedir sexo a um homem, que na verdade era um policial disfarçado.

3- Elvis Presley - 1956

Os Estados Unidos nunca tinham visto nada como Elvis Presley quando ele surgiu em meados dos anos 50. Os passos de dança dele eram tão sexuais que ele foi filmado da cintura para cima em sua primeira aparição noTonight Show. A censura fez ele ainda mais irresistível para as adolescentes país afora. O fanatismo em torno de Elvis durou até 1958, quando ele entrou para o exército, mas teve o pico em 1956, quando ele lançou singles como "Heartbreak Hotel", "Don't Be Cruel", "Hound Dog" e "Love Me Tender", que atingiram o nº 1 das paradas. Idependentemente do quão mal ele administrou seu dom nos anos 60 e 70, a imagem de Elvis movendo a pélvis em rede nacional nos EUA está permanentemente gravada na memória de uma geração inteira. Incontáveis artistas decidiram devotar a vida ao rock and roll naquele exato momento.

4- Ricky Nelson - 1957

Muitos pais achavam a carga de Elvis sexual de mais para seus filhos, mas não tinham nenhum problema com Ricky Nelson. Os Estados Unidos assistiram Nelson crescer na televisão como o irmão mais novo em The Adventures of Ozzie and Harriet. Em um episódio de 1957 da sitcom Ricky cantou uma verão de "I'm Walkin'", de Fats Domino. Se tornou um grande single para o garoto de 16 anos, que acabou conseguindo uma série de hits no início dos anos 60. A carreira dele desandou à época que os Beatles invadiram os EUA, mas Nelson conseguiu um retorno breve nos anos 70 com a música antinostalgia "Garden Party". Ele continuou a fazer turnês até morrer em um acidente de avião em 1985.


5- Fabian, Frankie Avalon e Bobby Rydell - 1961

O rock and roll estava totalmente em baixa no início dos anos 60. Elvis estava no exército, Buddy Holly tinha morrido, Little Richard tinha encontrado Jesus, Jerry Lee Lewis estava marcado pelo escândalo e Chuck Berry estava na prisão. Aí surgiram Fabian, Frankie Avalon e Bobby Rydell. Eles eram jovens muito inofensivos com hits como "Kissin Time", "Kissin' and Twistin'" e "Venus". Sem outros artistas para idolatrar, as adolescentes aprenderam a amar esses caras - impulsionadas pelas constantes aparições deles no prograna American Bandstand. Então nasceram os Beatles e eles foram esquecidos em um instante. Nenhuma das explosões de sucesso individuais deles teria lugar nessa lista, mas sendo observados em conjunto, conseguiram uma posição. Eles também fazem turnês juntos atualmente, e até as fãs mais dedicadas têm problemas para lembrar qual é qual.

6- Beatles - 1964

Apenas três meses depois do assassinato de John F. Kennedy, os Beatles pousaram no aeroporto JFK, em Nova York. A América do Norte estava pronta para se sentir alegre novamente e as pessoas perderam a cabeça com esses quatro caras da Inglaterra. As meninas literalmente fizeram xixi na calça quando avistaram o carro deles descendo a rua e algumas até comeram a grama por onde eles andaram. Foi um nível de surto adolescente que o país nunca tinha visto antes - nem mesmo no auge de Elvis Presley. As garotas gritavam tão alto nos shows deles que ninguém nunca conseguia ouvir a música. Durante a onda inicial da beatlemania, em 1964, poucas pessoas poderiam ter previsto o tipo de música inovadora que o grupo lançaria conforme a década fosse avançando. Diferentemente de muitas outras sensações teen, essa foi uma banda que realmente mereceu os gritos, choros e calças sujas.

7- Monkees - 1967

O sucesso dos Beatles inspirou um grupo de executivos da TV a dar chance para um roteiro a respeito de um grupo de músicos tentando o sucesso. Eles escalaram dois jovens atores e dois músicos para criar o Monkees. Desde o lançamento do primeiro single deles, "Last Train To Clarksvile", no fim de 1966, eles já eram um grande sucesso. Os Beatles tinham parado de fazer turnês (e John Lennon havia dito que eles eram "maiores do que Jesus"), então era hora de gritar por outro grupo. Em 1967, o Monkees vendeu mais discos do que os Beatles e os Rolling Stones juntos, mas nunca conseguiram se livrar de passar a impressão de que eram uma banda fake. Em 1968, a coisa toda começou a desmoronar muito rapidamente.

8- Jackson 5 - 1970

No final da década de 1960, a Motown resolveu se arriscar investindo em cinco irmãos de Gary, Indiana. Eles estouraram quase imediatamente, fazendo sucesso com "ABC", "I Want You Back" e "I'll Be There". Na primeira turnê nacional, o grupo encarou multidões malucas de garotas berrando. A atenção agradou bastante os garotos mais velhos, mas apavorou completamente um Michael de 11 anos de idade. A carreira do grupo foi decaindo ao longo da década de 70, mas Michael continuou sozinho no começo dos anos 80 e se tornou um dos artistas mais bem-sucedidos de todos os tempos. Os estragos mentais do primeiro golpe de fama (somados a um pai abusivo) acabaram se provando grandes demais para se superar e a carreira de Jackson foi se diminuindo diante de tantos comportamentos bizarros e alegações horríveis de abuso de crianças. Ele morreu em 2009, mas este ano os membros vivos do Jackson 5 vão fazer sua primeira turnê em quase 30 anos.

9- David Cassidy - 1971

O sucesso de Ricky Nelson e o Monkees provou que a televisão é um ótimo veículo para criar novos ídolos adolescentes. A The Partridge Family (A Família Dó Re Mi) fez a mesma coisa por David Cassidy. No segundo que a família Partridge foi ao ar em 1971, David Cassidy se tornou um ícone para legiões de garotas adolescentes. Assim como muitos outros astros teen, ele tinha traços leves e femininos, uma aparência um pouco mais jovem do que sua idade de verdade e era extremamente não-ameaçador. No auge da Cassidy-mania, ele estava se apresentando em estádios e fazendo muito sucesso com músicas como "I Think I Love You" e "I Woke Up In Love", mas tudo chegou ao fim inevitavelmente depois de alguns anos e Cassidy se viu como alguém que ficou no passado já aos 24 anos.

10- Bay City Rollers - 1975

Eles eram um grupo de adolescentes escoceses que adotou o nome da banda depois que um dardo que jogaram em um mapa atingiu Bay City, Michigan. Eles construíram aos poucos um público no Reino Unido no começo da década de 70 com uma série de músicas bobas (mas extremamente cativantes). Em 1975 , chegaram ao número um das paradas nos Estados Unidos com o hit "Saturday Night", que (bizarramente) inspirou os Ramones na composição de "Blitzkrieg Bop". Um punhado de outros sucessos se seguiu e eles ainda tiveram um programa de variedades na NBC por alguns meses, em 1978, mas como era inevitável, eles desmoronaram completamente no começo dos anos 80.

11- Shaun Cassidy - 1977

Seis anos depois de David Cassidy ter explodido, veio o Cassidy 2.0: seu meio irmão Shaun Cassidy. Esse, então, era ainda mais fofinho e dava uma impressão ainda menos ameaçadora do que o original. O final da década de 70 foi uma época de uma nostalgia intensa dos anos 50 (Grease - Nos Tempos da Brilhantina, American Graffiti, Happy Days...) e Shaun faturou com a moda lançando uma cover de "Da Doo Ron Ron", que se tornou número um. Ele também atuou nas adaptações para a televisão dos livros das séries Hardy Boys e Nancy Drew Mysteries. Tudo acabou depois de mais ou menos três anos, mas Shaun continuando atuando na Broadway e na televisão, trabalhando até com David, ocasionalmente.

12- Leif Garrett - 1978

Leif Garrett levou para outro nível a fórmula vencedora de Shaun Cassidy de gravar canções antigas. Em apenas um ano ele atacou com "Surfin' USA", "Runaround Sue" e "The Wanderer". Leif começou em séries como Um Estranho Casal e Family, antes de entrar para a música. Seu tempo no topo foi rápido e ele entrou nas drogas pesadas com tudo. Ele foi preso diversas vezes por causa de problemas com drogas ao longo dos últimos 30 anos.

13- Duran Duran - 1982

O quinteto pop britânico foi a primeira banda a ser "estourada" pela MTV. A então iniciante rede de TV estava desesperada por vídeos, e transmitiram "Girls On Film", "Hungry Like The Wolf" e "Rio" incessantemente. Isso os tornou estrelas do pop nos Estados Unidos, embora eles tenham entrado em hiato em meados dos anos 80. Depois da volta, nunca atingiram o mesmo sucesso de antes, ainda que tenham tido os hits "Ordinary World" e "Come Undone" em 1993. De quando em quando eles tentam um retorno com novas músicas, mas eles têm hits o suficiente para esgotar shows até o final dos tempos.

14- New Edition - 1983

Mais de uma década depois do estouro de Jackson 5, esse grupo de Boston chegou às paradas com hits-chiclete como "Candy Girl", "Cool It Now" e "Mr. Telephone Man". Bobby Brown deixou o grupo em 1985 para uma carreira solo, mas eles continuaram a ter sucesso. A carreira de Brown foi próspera por alguns anos, mas no início dos anos 90 ele era mais conhecido por ser o marido louco de Whitney Houston do que como um popstar. O New Edition se reuniu diversas vezes ao longo dos anos, e está atualmente em turnê. A visão de seis homens de meia idade cantando "Candy Girls" pode ser um pouco estranha, mas os shows ainda são lucrativos.

15- Debbie Gibson - 1988


Diferente da maioria das estrelas teen pop, Debbie Gibson realmente escreve as próprias músicas. Claro, "Electric Youth", "Foolish Beat" e "Lost In Your Eyes" não envelheceram muito bem, mas fizeram um sucesso gigantesco no fim dos anos 80 - e todas foram escritas por uma adolescente. Nos anos 90 ela mudou o nome para Deborah Gibson com o intuito de ser vista como adulta, mas agora ela está usando o Debbie novamente. Ela recentemente estrelou um filme e saiu em turnê com a antes rival Tiffany, e também fez uma aparição em Celebrity Apprentice.

16- New Kids on the Block - 1989

O New Kids on the Block foi tão grande quanto um grupo pop pode ser. Eles estavam esgotando ingressos em todos os shows em estádios de futebol, lançando hit após hit e estampando os rostos deles em tudo, de caixas de cereal a bonecos. Eles também criaram a fórmula: o bad boy, o mais juvenil, o mais quieto, o mais doce e, hum, Danny. Havia até um número de telefone para o qual as fãs podiam ligar para saber mais sobre eles. Basicamente, os integrantes perceberam que aquilo não ia durar muito e resolveram ganhar dinheiro de todas as formas possíveis. Em 1994 passaram a se chamar NKOTB e tentaram fazer um disco mais "adulto". Nem seria preciso dizer: não deu certo. Eles se separaram, mas em 2008 voltaram para uma megaturnê que ainda está em andamento. Eles também serviram de modelo para as boybands que surgiram no final dos anos 90.

17- Spice Girls - 1996

Não havia muitos ídolos adolescentes no início dos anos 90. Era o tempo em que jovens compravam discos do Pearl Jam, Nirvana e Dr. Dre. Mas a era do rock alternativo estava próxima do fim em 1996, e o sucesso de cinco atrevidas mulheres britânicas provou isso. "Wannabe" chegou à parada norte-americana em 1997, e pouco depois garotas de 7 anos estavam debatendo quem era a "Baby Spice" entre as amiguinhas. O grupo foi tão grande que até fez um filme em Hollywood, mas em 1998 Geri Halliwell deu uma de Bobby Brown e saiu das Spice Girls em uma fraca carreira solo. As outras integrantes continuaram como quarteto até 2000, quando se separaram. Uma turnê de reunião em 2007 foi extremamente lucrativa, e as cinco integrantes ainda são muitíssimo famosas na Inglaterra.

18- Hanson - 1997

Apenas três meses depois de as Spice Girls terem conseguido o hit "Wannabe" nos Estados Unidos, um grupo de três irmãos de Oklahoma lançou uma música chamada "MMMBop". Até hoje, ninguém sabe o que esse termo significa, mas os cabelos loiros e longos e as melodias doces deles fizeram as garotas desfalecerem. Então, o terceiro disco da banda, Middle of Nowhere, começou a vender milhões. Aparições em lojas de discos causavam caos quando meninas tentavam ver de perto o trio, e eles até tiveram um livro na lista de mais vendidos do New York Times. Vários outros grupos teen surgiram depois disso, mas muitas fãs são fieis ao Hanson e eles continuam a lotar casas de shows até hoje.

19- Backstreet Boys - 1998

No verão de 1997, uma música confusa chamada "Everybody (Backstreet's Back)" chegou às rádios. Repetia continuamente que algo chamado "Backstreet" estava de volta (back, em inglês), mas ninguém nem sabia quem eram os Backstreet, para começar. Não importava. A música produzida por Max Martin era incrivelmente pegajosa, as garotas se apaixonaram pela boy band, e uma nova sensação acabava de nascer (eles já tinham tido algum sucesso na Europa, mas isso não vem ao caso). Eles eram liderados pelo imoral Lou Pearlman, à moda de Svengali. Ele teve um papel importante em fazê-los estourar, mas eles depois o processaram acusando-o de roubo. Diferentemente de outras boy bands, o Backstreet Boys nunca se separaram de verdade. Kevin Richardson deixou o grupo por seis anos, mas eles continuaram fazendo turnês para plateias cada vez menores. Eles tiverem um pequeno revival em 2011 quando saíram em turnê mundial com o The New Kids on the Block, e Kevin voltou o grupo.

20- 'N Sync - 1999

Diga o que você quiser sobre Lou Pearlman, mas ele certamente não era bobo. Ele sabia que alguém iria criar um clone dos Backstreet Boys e ganhar muito dinheiro com isso - então, ele mesmo fez isso. Não pegou bem com os Backstreet Boys, mas o mercado provou que havia mais do que espaço suficiente para duas boy bands. O público do 'N Sync cresceu muito rapidamente. E também em pouco tempo ficou claro que Justin Timberlake era o mais talentoso dos cinco, e uma carreira solo parecia invitável. Depois de trabalhar como nunca por cinco anos, Timberlake tirou férias por tempo indeterminado do grupo, que acabaram se tornando permanentes. Os outros quatro integrantes continuaram por algum tempo, mas sabiamente decidiram dar um fim ao grupo.

21- Britney Spears - 2000


O sucesso do ‘N Sync e do Backstreet Boys gerou uma dúvida óbvia: quando iria surgir uma garota na cena pop teen? Britney Spears, veterana do Clube do Mickey Mouse, negociou inicialmente com Lou Pearlman para entrar no grupo feminino Innosense, mas um contrato solo apareceu em 1998 e ela se viu gravando na Suécia gravando com Max Martin, antes mesmo de completar 17 anos. No minuto em que ela apareceu na MTV vestida em um provocante figurino colegial em "...Baby One More Time" ficou óbvio que ela era uma superestrela. Não é preciso dizer que ela passou por muitos altos e baixos, mas se provou resiliente. Toda vez que o público pensa que ela está fora do jogo, ela lança um novo álbum com hits e uma turnê de shows esgotados.

22- Jonas Brothers - 2007

Em 2007 a cena pop teen estava praticamente morta. ‘N Sync já havia acabado há muito tempo, os Backstreet Boys eram uma sombra do que foram antes e Britney tinha ficado maluca. Lou Pearlman não podia criar um novo grupo. Ele tinha problemas maiores para resolver, como voar para a Indonésia para evitar ser preso por fraude. Mas então a Disney entrou no jogo e deu ao mundo o Jonas Brothers. Como o Hanson, mas uma década depois, eles eram um trio de irmãos adolescentes querendo fazer o que fosse preciso para se tornarem grandes estrelas. Aparições na série Hannah Montana e em outros programas da Disney os apresentaram a milhões de garotas adolescentes, e os discos começaram a vender. Adultos não viram nada de atraente no som deles, mas para meninas de 12 anos era a melhor música do planeta. Os ingressos deles começaram a vender mais rápido do que uma reunião do Led Zepellin, mas os meninos tiraram um tempo para lançar suas carreiras solo e saíram do radar - especialmente depois que um garoto chamado Justin foi descoberto.

23- Miley Cyrus - 2007

Como Ricky Nelson fez 50 anos antes, Miley Cyrus fez fama interpretando uma versão ficcional de si mesma na TV. Também como Ricky Nelson, o pai dela atuava na série que a apresentou a América. As similaridades entre The Adventures of Ozzie and Harriet e Hannah Montana acabam aí, mas ambos renderam grandes hits e criaram ídolos adolescentes. O crescimento de Miley foi meteórico. Ingressos para a turnê Best of Both Worlds, de 2007, venderam em tempo recorde, o programa tinha uma audiência monstruosa. Pareria que ela iria se tornar uma versão mais estável de Britney Spears, especialmente depois de singles como "The Climb" e "Party In The USA", que entraram para o mercado "adulto". Mas então as coisas começaram a dar errado. O disco dela de 2010, Can't Be Tamed, não rendeu nenhum hit, e Miley parecia ansiosa além da conta para se mostrar adulta. Os pais ficaram horrorizados com a Miley 2.0, e aos 19 ela já parece coisa do passado. Mas ainda há muito tempo para um retorno.

24- Justin Bieber - 2009

Justin Bieber é o primeiro ídolo teen a estourar mundialmente por causa do YouTube. Ele foi descoberto cantando em um vídeo no site por Scooter Braun quando tinha apenas 13 anos. Depois de se unir a Usher (que viu um grande potencial no garoto), Bieber começou a gravar seu primeiro disco e a se preparar para a dominação global. Em 2009 ele lançou My World, e conseguiu sucesso com "One Less Lonely World". Adolescentes nos Estados Unidos trocaram os pôsteres dos Jonas Brothers pelos de Bieber. Já se passaram quase três anos e Bieber ainda reina. O novo single "Boyfriend" levou ele a um mercado mais amplo que o teen, e o relacionamento dele com Selena Gomez tornou os dois estrelas muito maiores do que seriam sozinhos. Não está claro para onde as coisas vão agora, ainda mais com um grupo de cinco rapazes da Inglaterra ameaçando roubar o trono dele.

25- One Direction - 2012

Em 2010 os cinco integrantes do One Direction fizeram um teste para entrar no programa britânico The X Factor. Nenhum deles conseguiu sozinho, mas então a jurada convidada Nicole Scherzinger teve a brilhante ideia de colocá-los juntos em um grupo. Foi um bom plano. A Inglaterra se apaixonou profundamente pelos garotos, e depois de uma bela campanha de marketing, o resto do planeta logo se enamorou também. Nos últimos meses o One Direction se tornou a maior boy band nos Estados Unidos desde o ‘N Sync. Quando eles passaram por Nova York para tocar no Saturday Night Live, meninas acamparam durante dias em frente ao estúdio de gravação, e o hotel deles foi invadido como nos tempos da Beatlemania. Eles não têm tempo livre para uma longa turnê de verão nos Estados Unidos agora, então tomaram a decisão (sem precedentes) de começar a vender ingressos para 2013, um ano antes da realização dos shows. É bem possível que algumas das garotas que compraram ingressos tenha deixado eles de lado quando chegar a hora das apresentações, mas os empresários do One Direction sabem que você tem que lucrar enquanto pode. Esses grupos tendem a ter uma vida curta no mercado.

http://rollingstone.com.br/galeria/febre-teen-os-25-momentos-mais-explosivos-de-idolos-adolescentes

Voltar

 
hidea.com   e-mail